Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Filmes: "Independence Day: O Ressurgimento"

MAIS DO MESMO

Se conseguir desligar o cérebro até vai curtir um pouco tudo isso, mas não dá nem para comparar com o original

- por André Lux, crítico-spam

Pode parecer absurdo, mas sou grande admirador do primeiro "Independence Day". Sim, o filme é estúpido, cheio de buracos no roteiro e de  momentos piegas e patrióticos constrangedores, porém dentro da sua proposta é dos melhores. E foi o primeiro (ou um dos primeiros) a mostrar os invasores do espaço realmente destruindo um monte de cidades e causando tragédias, quando antes ficavam só na ameaça. Além disso, os atores eram bastante carismáticos e o roteiro era bem amarrado a ponto de (quase) nos fazer esquecer de todas as baboseiras jogadas na tela.

Surge então, esse “Independence Day: O Ressurgimento” que parece ser uma continuação, mas é mais um recomeço (ou “reboot”) como está na moda agora com filmes que passaram do tempo de ter uma continuação na época do seu sucesso e inventam uma forma de começar tudo de novo a fim de atrair a nova geração aos cinemas.

Assim, 20 anos depois do filme original, surge isso que é praticamente uma refilmagem do primeiro só que com novo elenco, exceto pela participação de alguns dos personagens antigos que pouco tem a fazer além de recitar frases de efeito e soltar piadinhas sem graça quase todo o tempo.

Se a trama do primeiro filme não fazia muito sentido, agora faz menos ainda. Tudo é maior e mais barulhento, porém sem qualquer novidade ou diversão que existiam no original. A montagem é truncada e os eventos vão acontecendo sem qualquer lógica ou preparação do clima, bem diferente do primeiro. Os jovens atores são neutros e sem carisma, principalmente o que faz o filho do piloto interpretado no original por Will Smith (que pediu uma fortuna para participar da continuação e é visto apenas em uma foto no começo).

Para piorar tudo, a trilha musical é muito fraca e totalmente genérica, não chega nem aos pés da original composta por David Arnold, cujos temas aparecem de leve no meio do filme e só é ouvida novamente no início dos créditos finais. Apesar de ter algumas boas sequências e a presença sempre divertida de Jeff Goldblum, o resto do filme se arrasta até o final redundante e interminável.

Não dá nem pra elogiar os efeitos visuais, pois é quase tudo feito em computação gráfica, enquanto o original ainda é da época em que tinham que explodir maquetes sem dó, o que sempre dá muito mais peso e também obriga os realizadores a inventarem soluções criativas para a falta de recurso. Aqui, como podem fazer o que quiserem no computador, abusam da quantidade de naves, tiros e explosões deixando tudo confuso e inteligível.

Confesso que tenho um fraco por filmes de ficção-científica desse tipo, então até consegui desligar o cérebro e curtir um pouco tudo isso, mas não dá nem para comparar com o “Independence Day” original. É apenas mais do mesmo, só que tudo super-inflado e sem qualquer traço de vida inteligente ou emoção genuína.

Cotação: * *

2 comentários:

Anônimo disse...

Fui ver o tal Independence Day 2 e olha, você foi até bem econômico em suas críticas. Esse filme é uma verdadeira (desculpe) merda. Sem pé, nem cabeça, nem braços, sem lógica, sem nada. História sem sentido, cheia de furos e atores jovens para lá de ruins. Nem os efeitos prestam porque já manjados.
Tá certo: nesses filmes o que vale é desligar o cérebro por duas horas, mas não precisavam exagerar na ruindade, muito longe do primeiro se tornou um clássico instantâneo. Mas esse, não tenho dúvida, é candidatíssimo a quebrar todos os recordes da Framboesa de Ouro.
A bem da verdade só consigo compará-lo apenas a um outro filme de ficção tão abominável: A Reconquista. Jesus!

Marcos K

gerere disse...

O primeiro filme foi uma analogia barata aos iraquianos e todo o povo do Oriente Médio. Tão óbvio. Lixo, propaganda de estado. Então que história é essa de "não dá nem para comparar com o “Independence Day” original"? Cade tua visão crítica? Um dos piores filmes de propaganda que já vi, não tem nenhum sentimento por qualquer povo que não seja americano do norte, o resto é alien. Me poupe.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...