Postagem em destaque

Blogueiro pede a sua ajuda!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Filmes: "A Viagem"


PARA ASSISTIR BÊBADO OU CHAPADO

Eu, que o vi o filme de cara limpa, fiquei apenas com sono durante as quase três horas intermináveis de projeção.

- por André Lux, crítico-spam

Olha, fazia tempo que eu não via um filme tão ridículo quanto este “Cloud Atlas”, chamado aqui no Brasil de “A Viagem”. A verdade é que o titulo em português já é a melhor crítica que a obra poderia receber, já que o roteiro deste abacaxi só pode ter sido escrito sob o efeito de alguma droga alucinógena. O fato de ter sido gerado pelos criadores da trilogia “Matrix”, em parceria com diretor de "Corra, Lola, Corra", só aumenta ainda mais a decepção.

A estória, baseado num livro de David Mitchell, é uma colcha de retalhos que mistura espiritismo (reencarnação) com mensagens dignas dos piores clichês de livros de auto-ajuda. São seis tramas paralelas, que alternam passados, presente e futuros distópicos que no final das contas não tem qualquer conexão entre elas, exceto o fato dos atores centrais fazerem múltiplos papeis geralmente escondidos sob grotesca maquiagem (os piores são o Hugo Weaving, o Sr. Smith de “Matrix”, travestido de enfermeira nazista e a oriental tentando se passar por dondoca do sul dos Estados Unidos).

Algumas das estórias não chegam a lugar algum (afinal, o que queriam os Precientes?), outras mal fazem sentido (como a da jornalista feita por Halle Berry que pretende denunciar algo que nunca ficamos sabendo direito o que é), enquanto outras são simplesmente absurdas (o editor que fica preso num asilo, como se aquilo fosse mesmo acontecer na vida real) e o filme vai se arrastando entre diálogos tolos recheados de filosofadas pseudo-profundas e tentativas patéticas de fazer humor (como a briga no bar).

Sr. Smith pagando mico
Não dá para entender como tantos atores de renome, como Tom Hanks, Hugh Grant ou Susan Sarandon, aceitaram participar dessa bomba. Talvez o fato de poderem interpretar múltiplos personagens seja algo que os atraia, vai saber... Há algumas citações a filmes cultuados de ficção científica, como “Fuga do Século 23” ("Logan's Run"), “No Mundo de 2020” ("Soylent Green", com Charlton Heston) e até mesmo “Matrix”, mas tudo se perde na canastrice geral das interpretações e no roteiro capenga. 

Por sinal, o roteiro é tão ruim que algumas ideias interessantes, tipo aquela marca de nascença que alguns personagens tem em comum, são simplesmente deixadas de lado sem maiores consequências. O que dizer então da tão falada sinfonia que dá nome ao filme da qual não ouvimos nada além de um dedilhar no piano? Não se salvam nem o desenho de produção ou algum outro aspecto técnico (aquele bar futurista, por exemplo, parece coisa de desfile de escola de samba). 

Talvez o filme melhore se você o assistir bêbado ou chapado. Mas eu, que o vi de cara limpa, fiquei apenas com sono durante as quase três horas intermináveis de projeção.

Cotação: *

22 comentários:

José Henrique disse...

suas críticas não são boas,essa é a pior! vá falando de política que você é melhor...
Os filmes Batman,Hobbit e A Viagem são péssimos?
justifica isso
http://www.imdb.com/title/tt1345836/
http://www.imdb.com/title/tt0903624/
http://www.imdb.com/title/tt1371111/

Cybershark disse...

SALADA INDIGESTA

Do jeito que este "A Viagem" foi editado, ficou confuso, truncado (apesar das três horas de duração), com exesso de histórias paralelas que supostamente tem algo importante em comum. Atrapalha bastante terem usado em demasia o recurso da narração off, que ao invés de deixar as seis histórias paralelas mais coesas, teve o efeito contrário e aumentou a confusão, deixando o filme difícil de acompanhar.

Confesso que esperava alguma coisa revolucionária daqui, já que foi dirigido por Tom Tykwer e os irmãos Wachowski, respectivamente responsáveis pelos ótimos "Corra Lola Corra" e "Matrix". Mas passaram bem longe disso, recheando o filme com falas dignas de livros de auto-ajuda - principalmente na figura da coreana Sonmi-451 - e cambaleando com o peso de ter que desonvolver tantas narrativas. Esse peso foi ainda pior para o elenco, mais perdido que cego em tiroteio em meio a tantos personagens e contextos. Apesar de ninguém se sair mal e o time escalado ser muito competente, o único que realmente conseguiu brilhar foi um excelente Jim Broadbent, com os personagens do músico e do velho do asilo. Tom Hanks, Halle Berry e a maioria do "cast" passou em brancas nuvens.

"A Viagem" sucumbe ao próprio peso e sofreu com a negligência de algumas tramas mais interessantes (a do barco no século XIX, que tem pouco destaque no segundo ato) e outras que só fazem espuma e poderiam ser limadas ou reduzidas a quase nada pelo bem das outras, caso da historinha do presente, no asilo. Já a trama dos coreanos no futuro está lá só pra justificar que o filme tenha algumas cenas de ação (nenhuma particularmente memorável, apesar dos diretores que o filme tem) e tentar costurar todas as histórias com o já citado discurso à la Augusto Cury da Sonmi.

Tecnicamente o filme é bem acima da média, com ótima cenografia e figurinos. A maquiagem é o que há de mais atrevido e geralmente tem resultados muito bons, mas dá umas escorregadas feias principalmente com as caracterizações de Hugo Weaving. Às vezes eu acho que só convidaram o ator pra pagar mico, interpretando uma enfermeira grotesca com pinta de drag queen na parte do asilo e uma "voz da consciência" na trama pós-apocaliptica que ficou a cara do Grinch!

No fim das contas, é um filme até bem assistível que não incomoda pela longa duração, mantém o interesse e guarda algum encanto visual. Porém, acena para algo bem mais pretensioso artística e tecnicamente desde o início, promessa que "A Viagem" nunca cumpre. Pior que isso, se deu muito mal com a edição que deixou tudo confuso, uma salada indigesta de tramas paralelas mesmo que a tal mensagem sobre "importância do amor" e "influência dos outros sobre nós" seja, afinal, bem simplória. Não duvido nada que essa bobagem tenha servido apenas como desculpa para Tykwer e os Wachowsky brincarem de Chrono Trigger tendo elenco e equipe técnica caríssimos. Assista sem esperar nada demais.

NOTA: * * ½

Anônimo disse...

Com o tempo adquiri um dom: vejo se um filme é bom ou ruim pelo cartaz. Foi assim com o famigerado Avatar (tá louco, que bosta)e com esse daí. Vi logo que era uma verdadeira "viajem". Não deu outra.

Anônimo disse...

Deixe-me ser simples:
porcaria MADE IN USA ... mais uma.
Moro em Copenhagen e, fica fácil assistir a essas "estréias mundiais" ... resumo: merda pura!

Inté,
Murilo

Anônimo disse...

Joao HEnriq:
vc nao condcorda q esses 3 filmecos q vc cita sao porcarias?
Eu nao só concordo, como afirmo:L LIXOS!
Mas, vc deve estar na categoria q mistura cinema com intretenimento cinematográfico.

Inté,
Murilo

Anônimo disse...

Suas críticas são realmente péssimas. Mostram que seu conhecimento acerca dos temas do filme é bem limitado.
Queridinho, senso comum não faz crítica. Vá se informar um pouco e quem sabe entenda pq os atores toparam atuar nesse filme.

Anônimo disse...

Eu entendi o filme, tem uma mensagem extremamente subliminar a respeito de Jesus Cristo. Tente captar no final quando ela eh coroada para a morte depois de pregar a verdade, que no passado era a religiao para os primordios e que a Halle Barry desmete no passado dizendo ser uma farsa a crenca daquele povo. Foi o que eu entendi.

Anônimo disse...

Estou visitando pela primeira vez o seu blog ( depois lerei matérias com calma) e gostando do que vejo. Parece que você tem leitores que precisam de você- escrevem muito mal ,e não me venham com desculpas de erro de teclado.As pessoas comuns adoram opinar e de preferência aparecer ( daí o sucesso do facebook), nada contra esses " 15 minutos de sucesso", mas fica menos vergonhoso ser souberem escrever, já que a internet é baseada nesse princípio ! Mas é isso aí, as classes baixas sobem e a educação continua na mesma...

Anônimo disse...

Penso que este ano entramos na Era da Luz,por este motivo muitos estão despertando para o novo.Inclusive os artistas de espíritos evoluídos.
Pessoas que só vêem o mesmo o tempo todo e não abrem suas mentes para o novo, assim como os que criticam e não apresentam soluções para questões urgentes para este mundo, inclusive de fundo filosófico, a respeito de nossa existencia neste Universo, estes, estão fadados ao fracasso
Um filme, ao meu ver,pode e deve passar uma menssagem positiva para um mundo tão cheio de maldades.Pessoas sem fé, não entendem e não veêm nada, estão cegas e o momento em que estamos atravesaando já começou.
Talvez se fosse este o filme em questão aqui, um filme que enaltecesse as guerras e fomes de uma forma leviana como muitos por aí mostram, fosse mais fácil de se entender algo, afinal, nossa mente já se acostumou com o sangue impresso em nossos telejornais todos os dias. Os que os que criticam este tipo de filme, sinto informar mas terão pela frente uma longa era para assistir cada vez mais estas histórias de esperanças e amor.Afinal esperança e amor nunca saem de moda.
Os que criticam, ou se aderem ao grande movimento invisível instaurado neste mundo, ou se alimentarão sempre das mesmas desesperanças, dos mesmos velhos modelos arcaicos sem nada de novo criar em suas mentes. Agora vale a escolher, ser feliz sempre buscando novas respostas que estão na nossa frente e acessível, o que fará possível a reconstrução deste mundo,ou permanecer no velho discurso já desgasto pelo tempo. Voce aí criador deste blog, por acaso vc. tem a receita para que aja de fato amor e união neste mundo? Se sim, poste aí sua idéia, caso contrário gaste seu tempo com algo que realmente voce tenha descoberto de novo e faça um filme nos contando sobre, ok? Obrigada.

Anônimo disse...

Queria saber porq mensagens ofensivas não serão publicadas. porque pelo oque eu vi é um blog de críticas.
Não achei ruim a sua crítica, faz sentido, e até concordo em algumas partes.
Mais só vou expressar oque eu senti com o filme, achei um filme espetacular, que não vai agradar a todos com certeza, é um filme, que se voc parar para pensar vai ver que tem sim sentido, que a mensagem que ele passa é que voce não precisa mudar o mundo que voce apenas pode fazer o bem começando por você mesmo, que não importa oque vocÊ, oque importa é no que acredita, que a vida é muito mais do que vemos, que pelo menos no mundo de hoje a vida é muito alem de seguir junto com a sociedade, que o filme todo se baseou nisso tambem, em mostrar que sempre teve pessoas diferentes daquelas que vão pela socieda. Pode parecer confuso mais é oque eu senti com o filme, me diverti, fiquei emocionada, e pensativa com tudo isso. Vitória Mauro.

Anônimo disse...

"como a da jornalista feita por Halle Berry que pretende denunciar algo que nunca ficamos sabendo direito o que é"

Cara, se você não entendeu isso, imagina o resto do filme...
Crítica podre!

MÚSICA DO DIA disse...

Li sua crítica antes de ver o filme, fiz um comentário aqui te esculhambando, você nem postou. Pois bem, depois que vi o filme, revirei a Internet para te achar novamente só par te pedir desculpas, você esta certo. Ganhaste um leitor. Grande abraço. Douglas

MÚSICA DO DIA disse...

xiii! Ato falho. me apressei em pedir desculpas, depois que o fiz percorri o resto do Blog. Retiro minhas desculpas, acho que você é realmente o que escrevi primeiro (nem me lembro mais o que disse) . Um esquerdopata militante típico, dos que puxa o saco do Lula. To fora, passe bem você e seu Blog Petista. kk

Anônimo disse...

Engraçado é que você banca uma de intelectual citandou Badiou nos seus outros posts, mas não entendeu a conexão do Papa Song do filme com o capitalismo extremista e a luta de classe dos replicantes vs. os "puro-sangue". Todas as seis histórias do filme (inclusive a comédia) abordam o tema de opressão e liberdade, temas também de Badiou e outros filósofos que (suponho) você lê. Infelizmente você preferiu criticar ao invés de analisar.

Anônimo disse...

Gostei do filme da mensagem que ele passa, é bacana, acho que muitos não vão entender, tem que ser uma pessoa pelo menos espiritualizada para isso.

Regina disse...

Como variam as opiniões, a maioria leiga. Quem consegue ver além de um roteiro linear, descobre uma obra incrível. Nada a ver com espiritismo, é oura ficção e Filosofia de vida.

Anônimo disse...

Coitado do Hugo Weaving. De agente Smith e V, a essa pagação de mico.

Anônimo disse...

É um filme excelente para quem gosta de desafiar sua mente de diversas formas... tentando descobrir quem é quem e interpreta o que? antagonista ou protagonista, papeis que todos desempenhamos no decorrer da nossa vida.
Que relação tem uma parte com a outra? Fisica? Metafisica? Temporal? Espiritual? Sei lá! Quer saber o objetivo do filme? é esse... quebrar essa lógica, mas entender isso é para poucos...
A viagem é realmente um viagem... pq lida com probabilidades diversas, uma loucura! mas assista várias vezes e preste atenção!

Rodrigo Pardossi disse...

O sr dono do blog deve ser um desses figuras acostumado com filmes sencivelmente fáceis de entender e assim e assim classifica essas obras como ótimas, e as obras mais complexas e de difícil compreensão no primeiro olhar como " a viagem " ele simplesmente classifica como ruim. Não é pq o sr não entendeu nada do filme que ele é Ruim. " A viagem " não é sessão da tarde pra qualquer um.

Anônimo disse...

Uma das coisas que entendi é que o bem que fazemos ao próximo pode ser devolvido em dobro pra nós. Muito interessante o filme.

Gabriela disse...

O filme é muito bom , me instigou a querer ler o livro, visto que geralmente a história contada no filme é uma síntese do livro . Digo, pois, citando por exemplo, O Perfume, O Xangô de Baker street, Senhor dos anéis,o Conde de Monte Cristo e Harry Potter; em alguns destes títulos as histórias são alteradas para se adaptar num enredo de no máximo 2h. Acredito que para se criticar é necessário conhecer, então minha crítica em relação ao filme " A Viagem" é limitada e só será válida quando eu ler o livro e puder fazer uma relação com o que foi para as telas de cinema.

Henriques disse...

existem filmes que só servem para determinados tipos de pessoas entenderem, no caso desse aí, o próprio elenco e alguma sociedade secreta e seus códigos, tom hanks é bom em conspiração. Já assistiram o homem que encarava cabras ou parnassus?, totalmente illuminati, esfregam na nossa cara algo q eles sabem o q é e agente fica boiando, rsrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...