segunda-feira, 22 de julho de 2013

Filmes: "O Homem de Aço"

GROTESCO E OFENSIVO

Só um degenerado poderia conceber algo como esse filme baseado nos quadrinhos do “Super-homem” que fazem a cabeça da garotada há décadas

- por André Lux, crítico-spam

Eu tenho pena das crianças de hoje em dia. Sei que parece papo de velho falando, mas sinceramente, só um degenerado poderia conceber algo tão grotesco quanto esse “Homem de Aço”, filme baseado nos quadrinhos do “Super-homem” que fazem a cabeça da garotada há décadas e renderam pelo menos dois longas metragens espetaculares: “Superman – O Filme” e a sequência “Superman II”.

O sucesso dos filmes dirigidos por Richard Donner e Richard Lester, no final dos anos 1970, vinha justamente do fato deles não se levarem a sério. Afinal, estamos falando de um sujeito praticamente indestrutível que se veste com as cores da bandeira dos EUA, usa capa e a cueca vermelha por cima da calça, pelo amor de Zod! Ou seja, é um filme para crianças! No final, durante o vôo de despedida em volta da Terra, Christopher Reeve até cumprimentava a plateia, como que dizendo "Ei, é apenas uma brincadeira".

Não faz o menor sentido, portanto, tentar aplicar ao “Superman” o mesmo estilo ultra-realista dos novos filmes do “Batman”. Mas, que nada, como deu certo com o "Cavaleiro das Trevas", por que não fazer o mesmo com o “Superman”, não é mesmo? Aí chamaram David S. Goyer e Christopher Nolan para escrever o roteiro (os mesmos dos novos “Batman”, vejam só!) e Zack Snyder (de “300” e “Watchmen”) para dirigir. E o resultado é um dos filmes mais grotescos e ofensivos de todos os tempos!

Confesso que fui um dos poucos que gostou do “Watchmen” do Snyder, mas seu “300” é bem fraquinho e seu filme anterior, “Sucker Punch”, é simplesmente nojento. Sinceramente, não dá para dizer o que é pior nesse “Homem de Aço”, mas sem dúvida o troféu abacaxi vai para a trilha musical do abominável Hans Zimmer, que é uma monstruosidade de ruindade, do começo ao fim, do tipo que deixa qualquer um com dor de cabeça. Eu já havia comentado brevemente o CD com a trilha do Zimmer, mas no filme fica ainda pior. Chega a ser embaraçoso o nível de amadorismo e falta de talento de Zimmer junto com um filme tão pretensioso e desmiolado como esse.

O começo, em Krypton, não faz o menor sentido. No original, Jor-El (interpretado com grande carisma por Marlon Brando) tentava em vão avisar aos governantes da destruição eminente do planeta. No novo filme, todo mundo concorda com os avisos do Jor-El (na pele de Russel Crowe, que se transformou num dos maiores canastrões da atualidade),  mas mesmo assim nada fazem para fugir do planeta, mesmo tendo altíssima tecnologia e naves poderosas!

Depois que o Superman chega à Terra, o filme pula para o presente e sua infância aparece em flash-backs onde descobrimos que seu pai adotivo era um tremendo babaca, além de ser um caipira extremamente articulado e metido a intelectual! A cena da morte dele é de provocar gargalhadas, de tão ridícula. Por sinal, colocar Kevin Costner e Diane Lane como os pais do herói não funciona nem um minuto, pois os dois atores são requintados demais para convencer como dois fazendeiros broncos do Kansas.

Tem outras coisas idiotas no filme. Como o fato de não decidirem se o Superman usa gumex no cabelo ou não. Na cena em que se entrega aos militares, por exemplo, ele está de gumex. Já na sequência seguinte, na nave, não está mais com gumex. Mas, depois, quando foge, volta o gumex! Também não ficam claras as extensões dos poderes do vilões. Pelo que dizem, o Superman levou anos absorvendo a radiação do sol para ficar poderoso, mas Zod e sua gangue ficam com a mesma força assim que chegam à Terra. E assim por diante...

Mas nada supera em ruindade o sujeito que colocaram para fazer o general Zod, um tal de Michael Shannon que, além de ser péssimo ator, tem uma voz de taquara rachada e um corte de cabelo estilo Cebolinha! E por que diabos o sujeito quer tanto destruir a Terra? Bastava ele pegar o tal Codex com o Superman numa boa e ir para qualquer outro planeta que eles já haviam colonizado antes para reconstruir a civilização de Krypton. Afinal, nesta nova versão, Zod não tem motivos para ter ódio de Jor-El e querer se vingar de seu filho, como no original.

Zod e Cebolinha: separados no nascimento
 Entretanto, o que deixa esse "Homem de Aço" intragável são as infinitas cenas de ação e lutas, todas completamente exageradas e ridículas, sempre feitas em animação digital no pior estilo vídeo game. E a destruição causada por elas? A primeira briga entre o herói e alguns vilões simplesmente arrasa Smallville! E o ataque em Metrópolis, então? Dá pra imaginar que milhões de pessoas morreram não apenas por causa do raio que sai da nave de Zod (que literalmente destrói prédios inteiros), mas também da luta entre ele e o Superman! E tudo bem, ninguém fala nada sobre isso! Ah é, mas o Super salva a Lois Lane e um soldado! Para completar a orgia de nojeiras e insensibilidade, o nosso "herói" ainda mata o vilão quebrando seu pescoço! Que coisa bonita e edificante para as crianças verem, não?

Sei que muita gente vai dizer, com razão, que o Superman não passa de um porta voz da indústria cultural imperialista dos EUA e que, por isso, já passa valores deturpados desde o começo. Sim, é verdade. Não dá para negar isso (e nesse novo filme ainda chegam ao cúmulo de perguntar ao Superman com a sutileza de um elefante como poderão ter certeza que ele nunca vai trair os EUA, ao que ele responde: "Hey, fui criado no Kansas"!). Porém, mesmo assim, quando você assiste ao primeiro "Superman" com o Christopher Reeve existem muitos valores ali que podem ser serem benéficos para uma criança, como o fato do herói "nunca mentir", ser fiel aos seus amigos ou colocar sua própria vida em risco para salvar os seres humanos, que ele aprendeu a amar e respeitar. 

Mas neste novo filme nada disso está presente e as crises de consciência do herói são forçadas e tolas. E ainda tentam forçar paralelos entre o Superman e Jesus Cristo em uma cena patética em que ele vai se confessar numa igreja e no fato dele ter 33 anos também... Ninguém merece!

Dá até pena do coitado do Henry Cavill (que esteve na série "Os Tudors") que é bonitão e tem pinta de Superman, mas é um ator por demais limitado para tentar dar algum sentido a um personagem ilógico num filme completamente sem eira nem beira como esse. Se não bastasse tudo isso, o filme é mal feito, tem uma fotografia péssima (toda esmaecida e granulada como é a moda agora dos supostos "ultra-realistas"), desenho de produção feio (algumas naves parecem besouros e outras ridículos pintos gigantes!) e edição picotada e truncada (nas cenas de luta mal conseguimos ver o que se passa).

Felizmente, esse lixo não está fazendo o sucesso esperado, o que significa que talvez não façam uma continuação ou ao menos vão ter que repensar os conceitos antes de aprová-la.

Cotação: ZERO 




21 comentários:

omeninoquenaomachuca disse...

já anunciaram continuação, e com o Batman participando (ligando, como fez a Marvel, pro futuro filme da Liga da Justiça). mas, eu gostei, apesar dos pesares (e sabendo que dificilmente chegarão, um dia, perto do primeirão lá dos anos 1970).

Pedro disse...

É pesquisar antes de falar tanta besteira, o filme faturou mais de 250 milhoes de dolares apenas nos EUA!

André Lux disse...

É, mas custou mais de US$ 200 milhões. Ou seja, mal se pagou...

Ricardo Atencio disse...

Olá André!
Acabo de assistir ao filme... Sinceramente, esperava muito mais...
Achei muito fraquinho. Grande abraço, sou um leitor assíduo do teu blog!

Anônimo disse...

Um filme grandes dos estúdios de hollywood hoje para ser considerado um sucesso mediano tem que, no mínimo, render o dobro do seu custo só com a bilheteria nos EUA. Ou seja, esse Homem de Aço é um fracasso.

Fantasma disse...

Ja disseram que vai ter o dois, o filme já faturou mais de 500 milhões de dolares no mundo.Se isso é fracasso não sei o que é sucesso. rs

André Lux disse...

US$ 500 milhões no mundo inteiro, para um filme que custou US$ 250 milhões, não pode ser considerado um sucesso. "O Homem de Ferro 3", por exemplo, lucrou US$ 1 bilhão em apenas quatro semanas de exibição.

Fantasma disse...

com certeza, mas o filme ainda vai estrear em outros países amigão. Já é o segundo filme da maior bilheteria do ano. O cavaleiro solitário foi fracasso, esse no SM tá longe de ser fracasso. O filme está longe de ser perfeito, mas também não é essa porcaria que vc disse.

Samuel Sobral disse...

Olha, sinceramente, essa foi a pior crítica que eu já li na minha vida.
Não é porque eu sou um fã do herói em pauta, mas sim porque você provavelmente assistiu ao filme já com aquela mentalidade infantil de discordar de tudo o que vai ser mostrado.
Primeiro, você critica o início do filme como se pudesse fazer melhor. Em momento algum o filme fala que ninguém conseguiu fugir (principalmente porque, se você lesse os quadrinhos, saberia que Kal não é o único kriptoniano vivo. Foi uma jogada do filme para ampliar horizontes).
A partir daí, tudo o que li foi escrito por alguém que não tentou entender a história, apenas criticá-la. Eu sei disso porque você nem ao menos percebeu a razão dos poderes dos inimigos do Superman, que são as armaduras que eles usam. Daí a asfixia quando eles tiram o capacete.
Quanto ao enredo do filme em si, sou o primeiro a admitir furos grotescos (aquela roupa na nave sem explicação, o porquê de Lois ter sido abduzida junto com Kal), mas, pelo amor de Bruce Wayne, é o filme de um cara que voa e solta laser pelos olhos! Não venha me dizer que tramas envolvendo super-heróis são as mais densas e vencedoras do Oscar.
O filme, foi sim, um sucesso (quase 400 milhões de dólares nos EUA, considerando que o filme custou cerca de 220 milhões e 678 milhões em todo o mundo, sem ainda ter sido lançado no Japão), tanto em termos de bilheteria quanto em qualidade. Foi um ótimo reboot. E foi o primeiro filme do novo universo DC, o que faz os números antes mencionados mais impressionantes ainda.
Acho que você deveria ver os filmes de um ponto de vista mais "grande-público". Você é um bom crítico, sinceramente. Mas fala como se esperasse ver O Silêncio dos Inocentes só que com superpoderes. Isso, meu amigo, é infantilidade. Cinema é pra se divertir, e eu saí do cinema bem satisfeito.

Atenciosamente,

Samuel Sobral.

Anônimo disse...

Não é por nada não, mas sempre que falam em super-homem só consigo mentalizar o Christopher Reeve ou então o Dean Cain.

E, MELDELS, isso aí é o general Zod? O mesmo personagem interpretado de maneira imponente pelo Terence Stamp é interpretado nesse filme por isso aí? CREEEEEEEEDDDOOOO!!!!!!!

Anônimo disse...

Fui assistir com meu filho de 13 anos e, Realmente, a cena em que ele quebra o pescoço do "vilão" foi horrível!

Márcio

Ricardo Brazil disse...

Nunca assiste um filme tão ridículo e estúpido como esse novo superman.Absolutamente podre!Não há nem muito o que dizer.Pra quem entende de cinema e do conceito com o qual foi criado o Superman, sabe que esse filme não pode nem sequer ser levado a sério.É preciso ser treinado em falta de sensilbilidade artística e intelectual pra gostar desse filme, o que na realidade é algo muito fácil atualmente de se encontrar. Aliás, se está faturando alguma coisa, não passa do reflexo de uma época de desmiolados que acham que filme de herói é feito necessáriamente de explosões e destruições sem sentido(que nesse filme são absolutamente estapafúrdias, fugindo totalmente à veracidade de qualquer possibilidade no mundo real), não apresentando nenhuma conexão real e concreta com o roteiro e com o mundo da física. (talvez porque o próprio roteiro seja idiota demais). Na minha opinião, o Superman morreu com o Christopher Reeve. Não haverá, infelizmente, nenhum filme sobre o herói como Superman, The Movie. Aliando trabalho duro de verdade, numa época na qual computadores eram apenas pra contribuir com o filme em determinados aspectos, e não para torná-lo ridículo, com efeitos especiais que de "especiais" só tem o nome. Superman, The Movie, foi um trabalho fantástico de arte produzido por Richard Donner, captando a essência real e conceitual do herói. Um filme inteligente, puro, verossímel dentro do que se apresenta e se propõe, realmente um filme digno de entrar para a história do cinema. E realmente entrou, ganhando o Oscar de efeitos especiais. Foi um filme que, como dito muito bem no texto do autor do blog, trouxe valores para as crianças, os quais estão totalmente ausentes nesse novo filme, o que não deixa de ser sintomático, além de ser totalmente incoerente e inverossímel com a realidade do herói. No filme de Donner, há cenas nas quais realmente parece que Reeve está vaoando; e é porque "realmente estava"; erguido por guindastes e cabos de aço em muitas cenas. O filme de Donner é o único fime de super-herói no qual vi algum sentido filosófico, moral, e artístico relacionados ao herói, sendo um belo entretenimento, sem deixar de ressaltar a interpretação absolutamente maravilhosa de Christopher Reeve. Ele na verdade deixou sua marca de maneira tão indelével no personagem que a própria imagem do ator era confundida com a do "Superman". E o contrário também é válido, o ator parecia com o personagem. Realmente foi um filme que dá saudades feito com o que Donner gostava de repetir para todos no "set" de filmagem: verossimilhança. Não bastasse isso, o filme traz simplicidade, pureza, e inteligência.

Anônimo disse...

"Sei que muita gente vai dizer, com razão, que o Superman não passa de um porta voz da indústria cultural imperialista dos EUA e que, por isso, já passa valores deturpados desde o começo. Sim, é verdade. Não dá para negar isso"

Eu posso. Primeiro que as cores do uniforme do Super não são as da bandeira dos usa, pois ela não tem amarelo. O uniforme usa roupas primárias por conta dos problemas de impressão durante a década de 30.
Segundo, como o Grant Morrisson disse, o Super sempre foi um herói do povo. Se você ler as primeiras histórias (pode fazê-lo por meio da graphic novel Superman Crônicas) vai ver que o cara é um socialista, bem ao estilo judeu pobre de Nova Iorque. E mesmo depois de se tornar o American Way, ele sempre foi um heroi social democrata, nunca um republicano conservador como o Batman.

Anônimo disse...

Gostei muito dos filmes do Superman, exceto o Superman returns, o pior filme do herói.
E este último, O Homem de Aço achei o melhor de todos. Desce a década de 30 a história do Super Man, levando em conta sua origem e poderes, foi sendo adaptada à épocas e sociedade.
Quanto a este filme, só não gostei muito o fato de Louis Lane já saber que Clark e Carl El (não sei se é assim que se escreve, mas enfim...).
Mas quanto ao resto do filme, achei muito legal, principalmente às cenas de lutas.

DorgivanHelsing disse...

Cara! como deve ser triste ser você. Fala do antigo filme que que não se levaria a sério, logo em seguida começa a buscar explicações e rasões no roteiro, meio confuso seu raciocínio. Eles utilizavam outros planetas para absorver os recursos naturais, significa que muitas das bases antigas não servem mais, ou vc acha que a nave de ZOD, poderia chegar em Mercúrio ou Jupiter e criar um novo planeta habitável?, "Pegar o codex - ir para qualquer outro planeta" é muito inocente mesmo. Só aí já mostra o tamanho da credibilidade do seu texto. E esse seu linguajar,"Degenerado, Ridículo, lixo... Parece um típico adolescente troll, vagando xingamentos pela net, que ódio todo é esse? depressão, revolta? triste sua crítica.

Marcel disse...

Eu gostaria de perguntar ao autor do texto ONDE o filme é um fracasso. Arrecadou 660 milhões ao redor do mundo. Que eu saiba, não é fracasso

André Lux disse...

Em momento algum eu disse que foi um fracasso, apenas que não fez o sucesso esperado. Um filme como esse, que no final das contas, do início ao fim da produção incluindo o marketing e o investimento no lançamento, deve ter custado algo em torno de R$ 400 milhões, lucrar apenas R$ 600 e pouco no mundo todo, significa que mal se pagou.

Carlos Henrique disse...

Eu sempre me perguntei porque as pessoas gostam tanto daquele filme horrível do Reeve, acho que por conta de ser um herói de criança, mais é um herói irreal demais, O super man é irreal pela própria origem,mais é um cara que você não consegue acreditar.
O que eu gostei desse filme nao que o filme seja excelente porque ainda não é o filme que o Super Homem merece, mais foi o primeiro filme do Super Homem, é que eles tentaram mostrar um super herói real, se ele existisse como ele seria. Isso eu achei legal pois deixa de lado a galhofa irreal do filme clássico. O fato de ele poder quebrar um prédio com um soco, o fato de ele não poder salvar todos porque é uma ilusão achar que ele pode salvar todo mundo. O problema do filme é que ele não tem um tema,os únicos furos do roteiro é a nave de mais de 20 mil anos, a morte ridícula do Kevin COstner que era uma cena que era preciso pra desenvolver o personagem mais foi feita de um jeito errado, e o fato da Louis Lane ter teleporte.
Esse Zod é mil vezes melhor que o Terrence Stamp, porque ele não é mau por natureza que é uma coisa ridícula a pessoa ser mau por ser mau, o vilão malvado da risada sinistra que quer matar (.Mais porque você quer matar? Ah porque eu sou mau. Porque você é mau?. Porque eu sou o vilão. Coisa ridícula.
Um filme real, real não pode ser não é, porque o Super man não existe, mais se existisse ele seria o apresentado nesse filme, e não aqueles filmes ridículos do Reeve, em que só a trilha escapa.

Anônimo disse...

Para mim foi o pior filme do Superman que já passou não aguentei ver até o final quando loquei o DVD, sempre disse nos comentários que o filme deveria ser no estilo do Smallville com o Tom Welling já conhecido como Superboy e seria uma sequência após a 10a temporada do seriado do Superboy que foi maravilhoso tirando os exageros naturalmente, daquela paixão desenfreada por Lana Lang que na história feita anteriormente era apenas uma paixão de garoto e nunca poderia aparecer mais do que a tão querida e sempre o amor do Superman Lois Lane atpe o nome Clak e Lois é super legal e nem isto apareceu no homem de aço, péssima escolha do Superman, bonito não tem dúvida, mas faltou o carisma do Christofer Reeve e do Tom Welling para o filme estourar de bilheteria.

Arivanildo disse...

Um dos melhores filmes de herói dos últimos tempos. O que acontece é que hoje todos querem dar uma de critico, ficam falando besteiras como "ha os filmes da década tal eram melhores, cheio de efeitos especias, filmes para adolescentes e por aí vai...". Besteira, o cinema nunca esteve melhor, o fato de Homem de Ferro 3 ter faturado tanto, é porque sua estreia foi num período sem concorrência e também por ser feito para rir, detesto isso, ainda bem que estão melhorando os filmes da Marvel, Capitão America 2, Xmen Primeira Classe e Dias de um Futuro Esquecido provaram isso, não é porque são filmes de heróis que precisam ser bobos e será que você realmente não entendeu porque Zod queria destruir a Terra, fala serio?

Arivanildo disse...

Um dos melhores filmes de herói dos últimos tempos. O que acontece é que hoje todos querem dar uma de critico, ficam falando besteiras como "ha os filmes da década tal eram melhores, cheio de efeitos especias, filmes para adolescentes e por aí vai...". Besteira, o cinema nunca esteve melhor, o fato de Homem de Ferro 3 ter faturado tanto, é porque sua estreia foi num período sem concorrência e também por ser feito para rir, detesto isso, ainda bem que estão melhorando os filmes da Marvel, Capitão America 2, Xmen Primeira Classe e Dias de um Futuro Esquecido provaram isso, não é porque são filmes de heróis que precisam ser bobos e será que você realmente não entendeu porque Zod queria destruir a Terra, fala serio?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...