Postagem em destaque

Blogueiro pede a sua ajuda!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Filmes: "Guardiões da Galáxia"

PERDA DE TEMPO

Ninguém precisa ver essa besteira sem graça

- por André Lux, crítico-spam

Não é por nada, mas os filmes baseados nos quadrinhos da Marvel estão precisando se reciclar. Esse "Guardiões da Galáxia" é o terceiro ou quarto que parte de uma mesmíssima premissa, bem idiota por sinal: "vilão super poderoso precisa pegar um bagulho super poderoso para ficar ainda mais poderoso e destruir o mundo, a galáxia ou o universo".

Foi assim em "Os Vingadores", "Thor 1 e 2", "Capitão América" e sei lá qual mais. Nos outros, os vilões queriam uma caixa azul ou um pó vermelho miraculosos. Em "Guardiões da Galáxia", o vilão quer um cristal rosa igualmente miraculoso.

Baseado num quadrinho obscuro da Marvel, o filme vem recebendo críticas muito favoráveis mundo afora, em mais uma prova de delírio coletivo dos profissionais da opinião em geral. Alguns chegaram a compará-lo com os "Star Wars" originais!

Repleto de furos no roteiro (clique aqui para ver uma pequena lista deles), forçações de barra, piadas sem graça e infindáveis batalhas espaciais feitas em computação gráfica, daquelas que não geram qualquer emoção e dão tontura de tão confusas e exageradas"Guardiões da Galáxia" lembra muito mais os nefastos prólogos de "Star Wars" do que os outros filmes de super-heróis da Marvel.

O elenco é interessante, mas completamente desperdiçado em personagens tolos e rasos com uma poça de água. Benício Del Toro aparece com uma peruca loira ridícula, num personagem que beira o grotesco, mas ao menos fica pouco tempo em cena. E o pobre do Vin Diesel foi contratado para dar voz ao homem-árvore e dizer "Eu sou Groot" trocentas vezes, como se isso fosse a coisa mais engraçada do mundo - só que não é. 

O filme tem uma direção de arte bacana, embora muita coisa seja copiada de outras produções, como o vilão Ronan que é igualzinho ao Molasar de "Fortaleza Infernal". 


Molasar e Ronan: nada se cria, tudo se copia...
A trilha sonora é repleta de músicas pop estadunidenses que pelo jeito deveriam dar um ar nostálgico ao filme, mas confesso que para mim não disseram nada, embora eu reconheça que não sou especialista no assunto. Meu negócio sempre foram as trilhas incidentais, compostas especialmente para os filmes e a desse aqui não chega a ser das piores, embora seu compositor, Tyler Bates, já tenha feito coisas muito ruins, como a trilha do novo "Conan, o Bárbaro".

Mas o que implode mesmo qualquer pretensão do filme é a guinada rumo à pieguice e à filosofia do "vamos nos sacrificar para derrotar o mal" que toma conta do terceiro ato, algo que vai completamente na contramão não só da proposta do filme, como da caracterização "descolada" dos protagonistas feita até então.

"Guardiões da Galáxia" poderia até ser uma boa diversão para a garotada, porém ele tem cenas de violência que, embora não sejam explícitas, são muito fortes, diálogos cheios de palavrões, machismo e misóginia (até quando as mulheres serão retratadas como meros objetos sexuais à espera de um macho nesse tipo de filme?). 

Sinceramente, ninguém precisa ver essa besteira. É perda de tempo.

Cotação: * *

Um comentário:

Lucas disse...

O filme é show.
Diversão garantida!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...