Postagem em destaque

SEJA UM PADRINHO DO TUDO EM CIMA!

Ajude este humilde blogueiro a continuar seu trabalho! Sempre militei e falei sobre cinema e outros assuntos sem ganhar absolutamente nada ...

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Filmes: "Clube da Luta"

PERIGOSO E INÚTIL

Apesar da boa intenção dos realizadores filme acaba passando a mensagem errada para os espectadores menos capacitados intelectualmente

- por André Lux, crítico-spam

"Clube da Luta", de David Fincher (diretor do sensacional "Seven - Os Sete Crimes Capitais") é um filme que dividiu a crítica e o público. Alguns acharam o filme excepcional, revolucionário, um soco no estômago do consumismo sem freios da sociedade ocidental (leia-se EUA), enquanto outros viram apenas um exercício repugnante e excessivo de estílo, pretensamente subversívo e meticulosamente planejado para causar o maior impacto (como um antigo comercial do cigarro FREE: "Eu gosto de dar porrada. Mas alguma coisa a gente tem em comum"), e que ao final acaba fazendo a apologia da violência e da intolerância. E o mais engraçado é que ambas as vertentes estão corretas, embora seja a segunda que acabe prevalecendo.

Se por um lado "Clube da Luta" incomoda e mexe na ferida da sociedade de consumo, por outro prega um anarquismo sem sentido e perigoso calcado apenas na violência e na destruição sem limites, tendo como personagens principais pessoas vazias e recalcadas com o "sistema", que encontram a redenção no tal Projeto Caos idealizado por Tyler Durden (Brad Pitt) e que consiste na destruição sistemática do mundo capitalista. Mas para colocar o que no lugar? Essa gente louca e desajustada do filme que encontra o "sentido da vida" no tal Clube da Luta onde enchem uns aos outros de porrada?

Ou seja, ao mesmo tempo que faz uma crítica feroz à violência, ao consumo exacerbado e ao culto às celebridades, o filme usa esses mesmo subterfúgios para "prender" a atenção do espectador. Depois de tanta porrada, sangue e efeitos visuais, tudo isso acaba diluindo e banalizando a violência que diz criticar. E, pior, a glorifica no final. Isso sem dizer que o roteiro é cheio de furos - principalmente a reviravolta final, que mesmo sendo surpreendente, parece ter sido inventada na última hora já que era impossível o protagonista ter feito tudo o que fez sozinho!

Apesar da óbvia boa intenção dos realizadores e do preciosismo técnico, "Clube da Luta" acaba passando a mensagem errada para os espectadores menos capacitados intelectualmente para "captar" o que existe por trás de toda a violência e loucura que se vê na tela. Não é a toa que um estudante de medicina mentalmente perturbado escolheu um cinema que passava justamente este filme (ao qual ele já havia assistido duas vezes) para descarregar sua sub-metralhadora na platéia exatamente durante uma cena na qual isso é sugerido pelo protagonista! E ainda dizem por aí que o cinema não influencia a vida real...

No final das contas, "Clube da Luta" não deixa de ser interessante como retrato de uma sociedade decadente e doentia, mas acima de tudo é um filme perigoso e inútil.

Cotação: * *

15 comentários:

Julio disse...

Concordo que o filme não é grande coisa,mas não podemos culpar um filme pelo comportamento doentio daquele estudante.Pessoas assim,acham justificativas para massacres até em histórias do cebolinha.Culpar uma obra,por pior que ela seja,abre um precedente perigoso.Abraço e parabens pelo blog

Crítico-Spam disse...

Eu já acho o contrário. Filmes irresponsáveis como "Clube da Luta" podem sim influenciar o comportamento doentio de pessoas mentalmente perturbadas. Obras de arte tem sim esse poder, principalmente o cinema.

Anônimo disse...

Amigo, só tome cuidado com esses ''tem sim''.

Em momentos, a sua argumentação soa como prepotente.

E ninguém é detentor de verdade absoluta.
abç

Crítico-Spam disse...

Não é prepotência, é apenas a minha opinião.

Anônimo disse...

Muito bom! E está perdoado pelo "sujerido" com "j", no penúltimo parágrafo.
LG

julio disse...

Seguindo sua linha de raciocínio,se esse péssimo filme não existisse,esse rapaz hoje seria um membro respeitavel da sociedade e nunca teria cometido uma atrocidade.Com certeza ele procuraria uma desculpa para cometer uma.Dizer que um sujeito que fazia medicina na usp era alguém com mentalidade fraca é complicado.Sbemos que ele é um psicopata muito inteligente e perigoso,que tomara,nunca saia da cadeia

Crítico-Spam disse...

LG obrigado pela correção.

Julio, fazer medicina na USP não quer dizer que o sujeito tenha fraqueza mental. E você está sugerindo o que? Que foi bom ele ter visto o filme e sentido vontade de matar um monte de gente naquele dia porque, talvez um outro dia ele acabasse fazendo isso de qualquer jeito? Isso não faz sentido nenhum.

Cybershark disse...

O filme mais superestimado das últimas décadas. E diferente do autor da resenha, não achei tecnicamente tudo isso não...

julio disse...

Você é uma pessoa inteligente,em momento algum disse uma barbaridade dessas que seria bom ele ter feito o que fez...Estou apenas discordando de vc,falar que eu acho bom ele ter visto o filme...Se vc não gosta de opiniões dissonantes,não permita mais comentários no seu blog.Continuo achando que ele faria a mesma coisa mesmo se a droga do filme não existisse.

Anônimo disse...

Se minha opiniao vale de alguma coiza gostaria de dizer que o filme possui uma ampla variedade de conteúdo pra quem estiver disposto enxergar, eu mesmo não gostei na primeira vez que vi mas depois percebi que por traz de toda superficialidade ele possui criticas ao consumismo,a moda e ao estilo de vida massante e sedentário que a grande maioria leva, porem de algum modo o filme como um todo me parece transmitir uma mensagem maior, a qual não consigo explicar pois seria como descrever cores a um cego.
Enfim, na minha modesta opinião o filme realmente não agrada se voce estiver esprando um grande sucesso de bilheteria, (daqueles que quem viu um viu todos)mas principalmente se voce não estiver preparado pra compreende- lo, quanto a tragédia dos assassinatos no cinema, creio que tudo é uma questão de interpretação.

Lucas Saldanha disse...

Esta é simplesmente a crítica de cinema mais conservadora que já li na vida.

Allan disse...

Não acha que está tentando tornar a sua visão sobre o filme como uma verdade? Ainda mais afirmando que o filme é "perigoso e inútil".

André Lux disse...

Uma crítica é sempre uma visão pessoal do crítico.

Allan disse...

Certo, entendo que esta é a sua percepção a respeito do filme, de qualquer forma, acho uma certa contradição taxá-lo como "inútil", sendo este um "interessante retrato de uma sociedade decadente e doentia".

Anônimo disse...

Para o Autor, a obra nao e uma obra prima, mas falar "menos capacitado" pra quem assistiu ou foi influenciado pelo filme, parece mais uma jogada sua de mkt pra chamar a atencao, oportunismo. O filme nao gerou reacao em ninguem, o mais provavel ele adiantou alguma reacao que mais cedo ou mais tarde aparecería, antes cedo para que o problema nao piore. Se me fiz entender, aos fracos de mente cabe se sentir influenciado, aos mais preparados cabe refletir o que cabe, esqueceu que e um filme? Tudo pode! Falar a verdade doi mesmo, se as pessoas conseguirem enfrentar mais suas vidas mediocres, nao precisando de luta ou violencia, o mundo seria melhor, resumo que tira coisa ruim quem é influenciavel ou ja tem uma vida cheia de experiencias negativas e fica vitima do sistema. Acordar os mediocres, se nao gostou faca melhor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...